Publicidade



Clube do Corno 
Garotos Brasil  
Gls Videos  
 
 
 
 
 
 
 
 
Garotos G 
Desenho Gratis  
Suruba Digital  
Novinha 18  

Arquivo



dezembro
15
Luluzinha na webcam

Luluzinha

dezembro
14
Ela de novo!

Ela de novo!

Click here for more.

dezembro
13
Duas horas de putaria na webcam

Uma hora de putaria na webcam

dezembro
12
E Agora, José? (Tortura do Sexo) (1979)

Tortura do Sexo

DOWNLOADMAIS PORNOCHANCHADA

Em 1982 Roberto Farias dirigiu “Pra Frente, Brasil”, considerado por muitos o melhor filme nacional a observar – com paixão, mas já com certo distanciamento – o caos da tortura nos governos autoritários de 1964-85. O roteiro claustrofóbico e a interpretação antológica de Reginaldo Faria, somados ao momento histórico de abertura política, transformaram a obra em sucesso de crítica e público, vista naquele ano por mais de 1 milhão de pessoas.

Do que trata “Pra Frente, Brasil”? Um homem inocente, quase apolítico, preso por engano pelos orgãos repressivos, paga com agonia e morte sua própria ignorância – melhor dizendo, sua omissão. Não deixava de ser bem construída parábola ao poema do pastor luterano Martin Niemöller, “Quando os Nazistas Levaram os Comunistas” – merecedor de uso sempre que os limites extrapolam: “Se agridem o vizinho e não reagimos, as próximas vítima seremos nós”.

A surpresa é que, três anos antes, em 1979 – o ano da Anistia -, a Boca do Lixo paulistana fez sua própria investigação sobre o tema. Produção David Cardoso, dirigida e roteirizada por Ody Fraga, “E Agora, José?” tem tantas semelhanças com seu sucessor que podemos ver, no escurinho do Cine Marabá, Roberto Farias assistindo ao original de Ody e pensando: “Gênio! É isso! Quero fazer um igual lá no Rio, com dinheiro da Embrafilme!”.

Sarcasmo à parte, o exemplar da Boca reitera antigos vícios: niilismo decadente, obsessão pelo erotismo misógino – flerte com o gênero wip – e acaba sendo mais divertido do que o primo carioca. O que em “Pra Frente, Brasil” é seriedade, denúncia (história), aqui vira simplesmente (mau) cinema.

Inteligente, e, no bom sentido da palavra, picareta de carteirinha, Ody Fraga prova que foi melhor roteirista que diretor, dedicando ao personagem-título (vivido pelo futuro ex-Bozo, Arlindo Barreto), uma multifacetada personalidade. Bobo alegre, o desafortunado José assegura o tempo todo sua paixão pela literatura declamando trechos de livros. Ao mesmo tempo isso o faz sublimar a enrascada onde se encontra e atiça a gana dos carcereiros ignorantes, que o tomam por um subversivo pernóstico.

Na verdade, José foi preso no lugar de um amigo, Pedro – os nomes bíblicos geram significação vazia. E, seguindo a Lei de Murphy, é perseguido pelo chefe corno (Luis Carlos Braga), que usa de influência para encarcerar a própria esposa nos subterrâneos do Dops. Por mais que as situações sejam risíveis e rocambolescas, não há nenhum exagero: em todas as ditaduras, sejam de direita ou de esquerda, vinganças pessoais movem boa parte das perseguições políticas.

Importante dizer que, em 1979, a tortura já vinha sendo amplamente discutida no país, e o filme tão somente repercute – ao modo dos empreendimentos made in Boca – este debate. As cenas de abuso são particularmente fortes, e estandardizam o velho dilema: necessidade de erotismo – sexo e mulher nua – confunde-se com as possibilidades e peculiaridades de cada obra, oscilando entre discreta sugestão e tônica dominante.

Uma esquizofrenia que também justifica o subtítulo: “A Tortura do Sexo”, tornando claro que existem dois filmes: o primeiro denso, rico, engajado; o segundo, reiteração monótona de sevícias, peitinhos à mostra e jogos sexuais infanto-juvenis. Dirigido por Jean Garrett, é provável que as duas partes se equilibrassem melhor. Nas mãos de Ody Fraga soam desconexas, para não dizer ridículas.

Nos últimos anos, a ditadura militar brasileira e suas terríveis conseqüências acabaram se tornando prato cheio – fonte de renda fácil – para inúmeros cineastas, que a exemplo de Ody variam entre o tolo e o sublime. Patinho feio lançado em abril de 1980 nos cinemas, “E Agora, José?” foi um desses pioneiros nunca citados, sequer lembrado por críticos ou curadores das tantas retrospectivas sobre o assunto. Por isso mesmo agora merecedor de nossa atenção e revisão.

Andrea Ormond

dezembro
12
July Gordelícia caiu na net – fotos e vídeos

July

DOWNLOADGALERIA


dezembro
12
Remy 2

Remy 2

DOWNLOADMAIS REMY


dezembro
10
Mas Que Beleza

Mas Que Beleza

dezembro
10
Minha namorada brasileira

Minha namorada brasileira

dezembro
09
Enrabando gaúchas

gauchas

dezembro
09
Cheirando os peidos da gata!

Cheirando os peidos da gata!

Trade



  • 1.
    2.
    3.
    4.
    5.
    6.
    7.
    8.
    9.
    10.
    11.
    12.
    13.
    14.
    15.
    16.
    17.
    18.
    19.
    20.
    21.
    22.
    23.
    24.
    25.
    26.
    27.
    28.
    29.
    30.
    31.
    32.
    33.
    34.
    35.
    36.
    37.
    38.
    39.
    40.

    trocar visita

Categorias



Contato | Putaria | Revistas | Sexo |