Publicidade



Clube do Corno 
Garotos Brasil  
Gls Videos  
 
 
 
 
 
 
 
 
Garotos G 
Desenho Gratis  
Suruba Digital  
Novinha 18  

Arquivo



março
14
Lana Starck em “Sexo, Câmera, Ação”

sexcamac

maio
14
Fudeu, ela achou a câmera escondida!

se dá conta

janeiro
19
Câmera voyeur

voyeur camera cagando

julho
13
Mais um casal que perdeu a câmera no táxi!

casal pagananoli

julho
16
Casal do Sergipe faz pirueta com a câmera pra filmar a foda

Patricia do Sergipe

maio
02
Tio Fudeco de Brasília – A Aluninha Anal

aluna_putinha_sendo_esculachada

Esse é filho da puta mesmo, esconde a câmera no teto, filma as fodas com as alunas e manda pra geral. Temos vários vídeos dele que vamos postar aos poucos. Pra baixar esse, como você já teveria ter vergonha na cara e saber, basta clicar na imagem. E se você quiser fazer igual ao Tio Fudeco, nos links abaixo tem uma porrada de câmeras malocadas pra você liberar seu lado vacilão.

abril
28
Tio Fudeco de Brasília – Enrabando a Loira Punk

adora_dar_o_cu

Nova série amadora do professor de línguas vacilão que esconde a câmera no teto, filma as fodas e depois envia pra galera. Arrumamos quatro até o momento (tem outros, calma), clique na imagem pra baixar o primeiro. E se você quiser fazer igual ao Tio Fudeco, nos links abaixo tem uma porrada de câmeras malocadas pra você liberar seu lado filho da puta.

abril
15
Comando Explícito (1986)

Comando Explícito

FILME COMPLETOMAIS BOCA DO LIXO

Em 1986, o diretor paulista Alfredo Sternheim dirigiu o filme Comando Explícito, sobre um homem extremamente obcecado por uma garota e que se utiliza de todos os meios para tê-la, praticando seqüestros e outras barbaridades.

Assim como Joe D’Amato e Jess Franco faziam na Europa, Sternheim rodou dois filmes ao mesmo tempo, com o mesmo elenco e mesmos cenários. Comando Explícito foi filmado logo após Orgia Familiar, ambos feitos para a Danek Produções. Os atores principais são os mesmos: Wagner Maciel, Daliléia Ayala e Rubens Pignatari. Orgia Familiar, também de 1986, trata sobre a aproximação de um estranho a uma família classe-média e sua paixão exacerbada para com a mais jovem da família, interpretada por Daliléia Ayala – uma atriz de aparência tão jovem, mas tão jovem, que mal aparece em cenas hardcore (e as que há, parecem enxertos).

Vamos, então, à história. Em uma família classe-média, temos o pai de família (Rubens Pignatari), que mantém um caso com a empregada doméstica; a mãe, que é totalmente irrelevante, e a filha, apaixonada por seu namorado. Será virgem? Vamos a um diálogo entre esse casal:

– Amor, vamos viajar nesse final de semana?
– Mas é claro! Aonde esse cabacinho vai, eu vou!

Então já sabe, né, leitor? Nada de deixar sua filha viajar com o namorado, a não ser que você queira virar vovô! O desfecho da cena apresentada acima é mal filmado, a câmera está totalmente mal posicionada e o rápido boquete passa quase que despercebido.

Para perturbar esse namoro, somos apresentados logo no início a um estranho homem, obcecado pela mocinha. Ele chega a persegui-la em plena saída da escola (quando falei que Daliléia era bem moçoila, não estava brincando). Para concretizar o amor não correspondido, o cara decide formar uma quadrilha (hã?). No primeiro assalto, vão justamente a um prédio onde só tem mulheres! Antes mesmo dos assaltantes anunciarem o estupro iminente, elas já estão abrindo as pertas e coisas mais. Isso que é gostar de ser estuprada, hein?

Após a esse “assalto sexual” bem sucedido, a quadrilha invade o prédio da mocinha indefesa e mantém a família como refém. Conseguirá o namorado da moça proteger sua amada das garras desses seres nefastos?

Apesar de semelhantes, Comando Explícito é inferior à Orgia Familiar, uma vez que neste são explorados mais os sentimentos das personagens e a psicologia do sexo. Em Comando Explícito, Alfredo Sternheim se desvirtua da história criando cenas e personagens desnecessários, além de cenas de sexo mal filmadas. Sem falar no final com direitos a tiros pra tudo que é lado, no melhor estilo Afonso Brazza.

Vale ressaltar que Alfredo Sternheim, no mesmo ano de 1986, rodou outros dois filmes que têm semelhanças no elenco, trama e cenários: Sexo Proibido e Sexo Livre.

Yúri Koch, do blog Necrofilmes

março
07
Nhonho pagou a puta e se fingiu de fodelão

nhonho

“Vai, vagabunda! Olha pra câmera e finge que tá curtindo minha piroquinha de seis centímetros, eu tou te pagando pra isso!”

DATAFILEOPENLOAD


janeiro
27
Gauge em “Abyss”

Abyss

Based on the 19th century Dostoyevsky novel The House of the Dead, Abyss is a movie that proudly carries on the tradition of ultra-hardcore that has made Extreme Associates a world-wide favorite among whack artists.

Abyss is produced, written, and directed by Thomas Zupko, whose Extreme directorial debut In the Days of Whore was named Video of The Year by Adam Film World and also received 11 AVN Award nominations including Best Video Feature and Best Director. Starring Extreme contract girl Kristi Myst and newcummer Stevie, Abyss follows in the format of Zupko’s two previous productions– we’re talking off-the-wall themes, raunchy group sex galore, and a plethora of anal.

“Abyss is probably in some respects better than In the Days of Whore, although completely different. The things here are at a level that have never been done in pornography,” says Zupko. “I’m continually pushing the limit to see what I can get away with, and this [movie] might just be one that gets me in trouble.”

And just what does “pushing the limit” mean to Zupko? Check this out…

Fresh starlet Krista Leigh, with just a few previous adult credits, arrived on Zupko’s set expecting to getting double-penetrated. The scene, though, ended up turning into an anal reaming with five cocks spearing her backdoor. But that’s not the sure-to-be controversial part.

“It was the most intense porn scene I ever shot,” says Zupko. “The face of the owner of the house, an older woman, was just sheer horror. Krista was slapped non-stop in the face, she had her head stepped on, she got spit on…and she enjoyed every bit of it. During the middle of the scene, while she’s getting fisted, fucked in the ass, and slapped, Krista did a disclaimer to the camera stating she’s doing this stuff of her own free will. “

At one point in the middle of this Krista broke down and started crying hysterically….cameras still rolling.

“She was crying out of sheer intensity; it was a form of ecstasy,” adds Zupko. “At the end the scene though she told me it was probably the best sexual experience she’s ever had.” Another highlight from Abyss has Kristi Myst playing the Zupko interpretation of Virgin Mary, appearing after the execution of the prisoners to offer the departed her bodily charms. Also on the Abyss menu is Gage getting double-repeated and puking in rapid fire succession all over the dicks that were just seconds prior crammed in her oral input.

“This is pornography in its purest form, not the watered-down diluted shit that all of these other wanna-be jack-offs make,” Zupko boasts. “It is porn on the cutting edge and porn for the 21st Century. The ‘Oh what a great butt’ and sugar-coated pre-sex sofa interviews are over. This is existential smut for all of us who have been fucked over by society our entire lives and who now say ‘we’ve had all we can fucking take and we’re not going to take it anymore.”

Already dead center in a whirlwind of controversy, Zupko takes all of his naysayers and critics to heart. “Most everybody in adult is a motherfucking coward and as laughable as it may sound there is a code here of ‘political correctness” that is probably more stringent and anal retentive than the one in the mainstream world. Rob Black understood that five years ago when he he said fuck you to the industry and made Miscreants against the greatest odds, fully understanding that what makes anything progress and advance is having the balls to expose shit for what it really is. Like Rob, I try to do give my fans pornography that is dick-provoking and thought-provoking mixed with a lot of rage and angst about this sick game we call life.”

DOWNLOADCENA CENSURADA DA GAUGE

Sim, essa é a versão completa (a primeira edição do DVD tinha duas cenas cortadas). Para os completistas incluímos a cena onde Gauge vomita várias vezes durante o boquete, e no final é morta estrangulada pelos caras.

Trade



  • 1.
    2.
    3.
    4.
    5.
    6.
    7.
    8.
    9.
    10.
    11.
    12.
    13.
    14.
    15.
    16.
    17.
    18.
    19.
    20.
    21.
    22.
    23.
    24.
    25.
    26.
    27.
    28.
    29.
    30.
    31.
    32.
    33.
    34.
    35.
    36.
    37.
    38.
    39.
    40.

    trocar visita

Categorias



Contato | Putaria | Revistas | Sexo |